Debate da Semena: Pokémon GO não é justo?

Então, se tem uma coisa que eu tenho feito com uma frequência gigantesca no último ano é jogar Pokémon GO. Eu tenho feito isso literalmente todos os dias desde que o jogo saiu no Brasil.
Se tem alguma exceção a dias assim, é quando chove (e chove muito) e isso no fim de semana. Dia de semana como tem trabalho, sempre rola de jogar um pouco no caminho de toda forma. ¯\_(ツ)_/¯

Mas, recentemente o Nick, do canal Trainer Tips, fez um vídeo chamado “ Pokémon GO is not fair” ou “Pokémon GO não é justo” como tradução literal (e nome desse post como vocês viram).

O vídeo, vocês podem ver na integra aqui (em inglês):

 

O Nick argumenta a questão de as pessoas dizendo que Pokemon GO não é justo com todos os jogadores.
Nick no video por outro lado, aponta que “o jogo não é justo no mesmo sentido em que a vida não é justa”.

Por exemplo:

  • Os jogadores nas áreas urbanas têm acesso a mais Pokestops / restaurantes, mas gastam mais na vida;
  • Os jogadores que viajam gastam mais, mas também experimentam mais.

 

Como resultado, Nick explica que é completamente natural ter Pokémon exclusivos de eventos, usando o Pikachu Outbreak como um exemplo de um evento que merece experiências e recompensas exclusivas (que aliás, ano que vem, eu estou BEM me planejando para ir).

 

 

O que houve depois?

  • Vocês imaginam o que aconteceu né? Estamos na internet e é claro que isso gerou bastante controvérsia e divisão entre o pessoal, criando dois grupos distintos:

    Os que concordam com o Nick e acham que sim, o jogo tem que ter algumas features exclusivas para eventos e favorecer os jogadores que viajam.

  • Os que não concordam com o Nick e argumentam que o jogo deveria ser igual para todos os que estão jogando.

 

A divisão fica maior conforme você observa as “subdivisões” dos argumentos e interesses dos diferentes grupos como “jogadores rurais x urbanos” ou “Nós viajamos, vocês não” e por aí vai.
Até o momento desse texto ser escrito (e não publicado aqui para vocês) a discussão já tem 7595 comentários, e o vídeo em si, 13K de likes e 7K de dislikes (sim divido assim).
Alem de tudo vários Youtubers estão fazendo vídeo respostas com o titulo “RE: Pokémon GO is not fair.”

 

 

O Meu: RE: Pokémon GO não é justo

 

Então, como alguém que joga isso a um ano, é claro que eu tenho que dar minha opinião no assunto. Eu não poderia simplesmente ficar de fora disso.

Eu vou começar dizendo que, sim, eu concordo com o Nick. Ponto. Acabou.
Você viaja, você sai da sua zona de conforto, você…faz o que o jogo quer que você faça: sai do sofá e vai explorar as coisas ao seu redor.

Pokémon GO é um jogo de AR, baseado na sua localização no GPS. O mínimo que eu espero dele é ter que fazer viagens. E digo isso, abrangendo desde sair de casa e ir para o Ibirapuera (como eu já faço com frequência), ou mesmo explorar outros parques / pontos da cidade atrás de ninhos específicos.
Até, sim, viajar para fora do pais atrás dos regionais (ou mesmo para o nordeste no caso do Corsola).

Eu vou usar descaradamente um dos argumentos que o Nick usou no vídeo: Se uma pessoa tem dinheiro para viajar, ela já o faria de toda forma, com ou sem o Jogo. ¯\_(ツ)_/¯
Eu me encaixo nessa situação. Eu estou juntando grana para uma viajem fora do pais, ANTES de o jogo ter sido lançado.
Só mudei o destino depois disso, por que:
A -) Era plano Futuro de qualquer jeito.
B -) Regionais 😉
Além disso, o que as pessoas consideram “injusto”? Isso entra numa coisa que é tão, mas TÃO relativa a perspectiva de cada um. Ainda mais quando estamos falando de um jogo. Seria o mesmo que você entrar num MMO que já tem 2 anos+ de vida, e achar injusto que um jogador lv 50 consegue levar sozinho um chefe, enquanto você lv 15 não consegue.

Ele se dedicou aquilo. Ele correu, ele investiu tempo e dinheiro no personagem dele. O mesmo vale para Pokémon GO.

Da mesma forma que o pessoal em Yokohama teve acesso ao Mewtwo com 100% de chance de captura antes de todo mundo (e mais que justo isso, já que foram 2 milhões de pessoas no evento, além de lá ser o berço da franquia), e Chicago teve Lugia e Articuno com 100% de chance…por alguns dias, para todo mundo eventualmente, sim, os eventos vão chegar a outros lugares. Isso leva tempo, pelo bem ou pelo mal. Requer um monte de autorizações e planejamento.

Eu quero um evento ao estilo “safari zone” como o que está rolando na Europa? CLARO!
Eu vou achar injusto eles terem e eu não? De jeito nenhum. Isso promove o pessoal a viajar, a se mexer. Porra, EU considerei apertar as contas (e muito) para ir para lá por um fim de semana.

E pelo menos para mim, Pokémon GO é isso! É o sair para aventura. É conhecer mais da sua própria cidade, do seu estado, pais, continente e ir explorando o máximo possível.
E como eu disse, se antes eu já me planejava para fazer isso de qualquer forma, com o advento de Pokémon GO eu estou planejando ainda mais a viagem desse ano e a dos próximos.

 

É um jogo com seus problemas? Isso ele é, sem dúvida alguma. Mas…injusto? Nope. Isso não.
Pelo menos, do meu ponto de vista, não.

 

 

 

 

Anúncios

Dragomon Hunter #41 – Mais farm e mais grind

 

Vocês ficam pedindo video com voz então toma o/
partiu grindar enquanto converso com vocês

 

———————————————————————————————————
Talvez algumas coisas não façam sentido devido a data, essa gravação foi feita no dia 22/12 então ja viu né?

God Eater Burst: Missão 120 – One Who Devours Future

Se o Borg e suas espécies já são chatos….imagine um evoluido como “Type 1 Deusphage”

Susano’o é uma luta meio complicada. Precisei de algumas tentativas antes de finalmente vencer esse infeliz…e mesmo assim como vocês podem ver deu algum trabalho….

Só espero não precisar muito das partes dele x.x’