Debate da Semena: Pokémon GO não é justo?

Então, se tem uma coisa que eu tenho feito com uma frequência gigantesca no último ano é jogar Pokémon GO. Eu tenho feito isso literalmente todos os dias desde que o jogo saiu no Brasil.
Se tem alguma exceção a dias assim, é quando chove (e chove muito) e isso no fim de semana. Dia de semana como tem trabalho, sempre rola de jogar um pouco no caminho de toda forma. ¯\_(ツ)_/¯

Mas, recentemente o Nick, do canal Trainer Tips, fez um vídeo chamado “ Pokémon GO is not fair” ou “Pokémon GO não é justo” como tradução literal (e nome desse post como vocês viram).

O vídeo, vocês podem ver na integra aqui (em inglês):

 

O Nick argumenta a questão de as pessoas dizendo que Pokemon GO não é justo com todos os jogadores.
Nick no video por outro lado, aponta que “o jogo não é justo no mesmo sentido em que a vida não é justa”.

Por exemplo:

  • Os jogadores nas áreas urbanas têm acesso a mais Pokestops / restaurantes, mas gastam mais na vida;
  • Os jogadores que viajam gastam mais, mas também experimentam mais.

 

Como resultado, Nick explica que é completamente natural ter Pokémon exclusivos de eventos, usando o Pikachu Outbreak como um exemplo de um evento que merece experiências e recompensas exclusivas (que aliás, ano que vem, eu estou BEM me planejando para ir).

 

 

O que houve depois?

  • Vocês imaginam o que aconteceu né? Estamos na internet e é claro que isso gerou bastante controvérsia e divisão entre o pessoal, criando dois grupos distintos:

    Os que concordam com o Nick e acham que sim, o jogo tem que ter algumas features exclusivas para eventos e favorecer os jogadores que viajam.

  • Os que não concordam com o Nick e argumentam que o jogo deveria ser igual para todos os que estão jogando.

 

A divisão fica maior conforme você observa as “subdivisões” dos argumentos e interesses dos diferentes grupos como “jogadores rurais x urbanos” ou “Nós viajamos, vocês não” e por aí vai.
Até o momento desse texto ser escrito (e não publicado aqui para vocês) a discussão já tem 7595 comentários, e o vídeo em si, 13K de likes e 7K de dislikes (sim divido assim).
Alem de tudo vários Youtubers estão fazendo vídeo respostas com o titulo “RE: Pokémon GO is not fair.”

 

 

O Meu: RE: Pokémon GO não é justo

 

Então, como alguém que joga isso a um ano, é claro que eu tenho que dar minha opinião no assunto. Eu não poderia simplesmente ficar de fora disso.

Eu vou começar dizendo que, sim, eu concordo com o Nick. Ponto. Acabou.
Você viaja, você sai da sua zona de conforto, você…faz o que o jogo quer que você faça: sai do sofá e vai explorar as coisas ao seu redor.

Pokémon GO é um jogo de AR, baseado na sua localização no GPS. O mínimo que eu espero dele é ter que fazer viagens. E digo isso, abrangendo desde sair de casa e ir para o Ibirapuera (como eu já faço com frequência), ou mesmo explorar outros parques / pontos da cidade atrás de ninhos específicos.
Até, sim, viajar para fora do pais atrás dos regionais (ou mesmo para o nordeste no caso do Corsola).

Eu vou usar descaradamente um dos argumentos que o Nick usou no vídeo: Se uma pessoa tem dinheiro para viajar, ela já o faria de toda forma, com ou sem o Jogo. ¯\_(ツ)_/¯
Eu me encaixo nessa situação. Eu estou juntando grana para uma viajem fora do pais, ANTES de o jogo ter sido lançado.
Só mudei o destino depois disso, por que:
A -) Era plano Futuro de qualquer jeito.
B -) Regionais 😉
Além disso, o que as pessoas consideram “injusto”? Isso entra numa coisa que é tão, mas TÃO relativa a perspectiva de cada um. Ainda mais quando estamos falando de um jogo. Seria o mesmo que você entrar num MMO que já tem 2 anos+ de vida, e achar injusto que um jogador lv 50 consegue levar sozinho um chefe, enquanto você lv 15 não consegue.

Ele se dedicou aquilo. Ele correu, ele investiu tempo e dinheiro no personagem dele. O mesmo vale para Pokémon GO.

Da mesma forma que o pessoal em Yokohama teve acesso ao Mewtwo com 100% de chance de captura antes de todo mundo (e mais que justo isso, já que foram 2 milhões de pessoas no evento, além de lá ser o berço da franquia), e Chicago teve Lugia e Articuno com 100% de chance…por alguns dias, para todo mundo eventualmente, sim, os eventos vão chegar a outros lugares. Isso leva tempo, pelo bem ou pelo mal. Requer um monte de autorizações e planejamento.

Eu quero um evento ao estilo “safari zone” como o que está rolando na Europa? CLARO!
Eu vou achar injusto eles terem e eu não? De jeito nenhum. Isso promove o pessoal a viajar, a se mexer. Porra, EU considerei apertar as contas (e muito) para ir para lá por um fim de semana.

E pelo menos para mim, Pokémon GO é isso! É o sair para aventura. É conhecer mais da sua própria cidade, do seu estado, pais, continente e ir explorando o máximo possível.
E como eu disse, se antes eu já me planejava para fazer isso de qualquer forma, com o advento de Pokémon GO eu estou planejando ainda mais a viagem desse ano e a dos próximos.

 

É um jogo com seus problemas? Isso ele é, sem dúvida alguma. Mas…injusto? Nope. Isso não.
Pelo menos, do meu ponto de vista, não.